Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

Dermatologia

 

Biopsia

A biópsia é um procedimento simples, em que um pequeno fragmento da pele ou da mucosa é retirado para análise patológica, com o objetivo de diagnosticar um tumor ou uma doença da pele. Há dois tipos de biópsias da pele: por “shaving” uma lâmina ou bisturi especiais são usados para retirar uma pequena amostra da pele, deixando uma cicatriz lisa; por “punch” um aparato redondo e cortante entra na pele, retirando uma coluna de tecido. A espessura de tecido retirado irá depender da região do corpo. Normalmente neste caso é necessário fechar a área com pontos. A pequena peça retirada é enviada ao laboratório. Durante o procedimento é aplicado anestesia local, com vasoconstritor. A biópsia por “shaving” demora de três a quatro dias para cicatrizar. Já a por “punch”, até 14 dias.

 

Cauterização Química

A cauterização química envolve a aplicação de uma substância cáustica sobre uma lesão, com o objetivo de removê-la. Após a aplicação do ácido a lesão fica esbranquiçada e pode arder. Ao redor do local tratado fica vermelho. Nos dias que se seguem a área escurece, e fica enrijecida, devido à morte das células. Duas semanas após o procedimento, a lesão é eliminada. Normalmente, usa-se a técnica para tratar ceratoses actínicas, ceratoses seborreicas, verrugas virais, dermatose papulosa nigra, dentre outros problemas.

 

 

Curetagem

Consiste na remoção de lesões cutâneas através da raspagem com um instrumento chamado cureta.

Para o tratamento de lesões pequenas, na maioria das vezes não é necessário anestesia ou utiliza-se apenas cremes anestésicos aplicados com antecedência de 1 hora, pois o procedimento é rápido e realizado de um só golpe. Um de seus usos mais frequentes é no tratamento do molusco contagioso.

Em lesões maiores é necessário anestesia. Nestes casos, geralmente se faz primeiro uma eletrocoagulação e a curetagem é utilizada para remoção do tecido eletrocoagulado e de células que possam ter escapado da eletrocoagulação. O procedimento deixa uma ferida superficial que exige cuidados para a correta cicatrização.

 

Dermoabrasão

Consiste no lixamento da pele para correção de alterações da sua superfície, como cicatrizes ou asperezas. Pode ser feito manualmente ou com uso de aparelhos dermoabrasores (pequenas lixadeiras de alta rotação, semelhantes a um esmeril). O procedimento necessita de anestesia prévia.

Um de seus usos mais frequentes é notratamento de cicatrizes de acne. Também é utilizado para correção de bordas elevadas em cicatrizes cirúrgicas e para tratamento de manchas solares (micro dermoabrasão). Outra utilidade da dermoabrasão é o tratamento de estrias.

 

 

 

Eletrocauterização

A Eletrocauterização, ou simplesmente cauterização, é um procedimento cirúrgico destrutivo usado para retirar alguns tipos de tumores benignos e alguns tipos de cânceres da pele. Para realizar o procedimento, primeiro limpa-se o local da excisão, depois aplica-se uma injeção local com anestésico e um vasoconstritor, para controlar possíveis sangramentos. Na eletrocauterização a lesão é carbonizada por eletricidade e calor. O material pode ser coletado e mandado para análise patológica ou não. Normalmente, este procedimento é usado para retirar hiperplasias sebáceas e ceratoses seborreicas. A recuperação é rápida, normalmente o paciente retoma as suas atividades no mesmo dia, e o ferimento cicatriza em até 10 dias. É recomendado não expor a área ao sol por dois meses.

 

Excisão Cirúrgica

A excisão é um procedimento realizado para remover completamente uma lesão da pele. É feito com anestesia local e normalmente é uma técnica ambulatorial. O dermatologista, ao medir a área a ser removida, inclui uma margem de segurança. Em seguida, limpa a região tratada e aplica uma injeção com anestésico local e vaso constritor. A lesão é removida com bisturi até a camada gordurosa da pele, e o profissional se certifica de que todo o material foi retirado. Este será enviado para análise patológica. Após a retirada de todo o material o médico sutura o local para melhor cicatrização

 

Laser

Laser é a sigla em inglês para “Light Amplification by the Stimulated Emission of Radiation” que significa luz amplificada por estimulação e emissão de radiação. Laser produz intenso feixe de luz que viaja em uma direção. Podendo agir por vaporização e/ou remoção do tecido da pele para melhorar rugas, cicatrizes e manchas, vedar vasos sanguíneos ou cortar tecidos.

O laser tem a capacidade de produzir feixes de luz com cores específicas, que podem variar de acordo com a intensidade e duração de pulso. Os novos sistemas de laser se tornaram extremamente precisos e seletivos, o que proporciona resultados mais eficazes e seguros. O comprimento da onda e a potência do laser ou da Luz Intensa Pulsada (LIP) determinarão uma aplicação médica. O LIP, por exemplo, de amplo espectro, é indicado para tratar vasos sanguíneos e pigmentação.

O cirurgião dermatológico pode escolher um tratamento a laser com o intuito de melhorar os resultados da terapia; reduzir os riscos de infecção; por causa da ausência de sangramento; o laser pode ser usado como uma alternativa para o bisturi, em alguns casos; causa menos cicatrizes; e é uma cirurgia ambulatorial, eficaz em muitas doenças.

REJUVENESCIMENTO: o laser pode ser usado para tratar falhas estéticas, como rugas, cicatrizes de acne, envelhecimento e pele danificada pelo sol. A camada de pele em que estão as rugas, cicatrizes, manchas é danificada e vaporizada, dando espaço para que uma nova camada de pele se forme. Uma das vantagens mais significativas do laser é que o tratamento quase não sangra. O processo também oferece maior controle da profundidade de penetração na superfície da pele, permitindo maior grau de precisão e segurança no caso de zonas delicadas.

O laser pode ser usado no rejuvenescimento para melhorar linhas finas, rugas e linhas de expressão do rosto; melhorar a aparência da pálpebra, dos pés de galinha e da região ao redor dos olhos; remover manchas e irregularidades na pele; melhorar e nivelar cicatrizes; melhorar o tônus da pele. Além disso, também pode ser usado para remover pelos e tatuagens indesejados.

TRATAMENTO: O desconforto é moderado e o cirurgião dermatológico pode aplicar loções anestésicas na região para diminui-lo. Após o procedimento a pele fica bem vermelha e é preciso mantê-la úmida com pomadas e curativos cirúrgicos, durante os primeiros dias. É importante manter-se longe de raios solares até a completa cicatrização do local, e depois usar filtro solar durante todo o dia e cobrir a área se sair ao sol. Maquiagem só pode ser usada depois de 14 dias.

COMPLICAÇÕES: Complicações significativas são raras e o risco de cicatriz é baixo. O laser de CO2 pode causar perda da pigmentação. Os efeitos colaterais mais comuns são formação de “casquinhas”, leve inchaço temporário, vermelhidão.

 

Lipoaspiração Tumescente

Tanto homens como mulheres podem acumular excesso de gordura no corpo, que pode não ser facilmente eliminado com exercício e dieta. Antes da década de 1980, extensas cirurgias eram necessárias para atenuar esse problema. Além disso, o tratamento era limitado a algumas áreas do corpo.  Não havia procedimentos seguros para remoção de gordura dos joelhos, coxas e tornozelos.

No início de 1980, os cirurgiões dermatológicos começaram a usar técnicas de lipoaspiração tumescente de forma segura e eficaz para remover gordura indesejada de diferentes áreas do corpo.  O que inclui rosto, pescoço, queixo, peito, costas, braços, abdômen, cintura, flancos “pneuzinhos”, interior e exterior das coxas, nádegas, joelhos e tornozelos.

A lipoaspiração tumescente também surgiu como um tratamento eficaz para muitos acúmulos de gordura não cosméticos, como lipomas (tumores de gordura benignos), ginecomastia (mamas masculinas), e para diminuir a transpiração nas axilas.

A técnica da lipoaspiração tumescente foi desenvolvida por cirurgiões dermatológicos na década de 1980 e revolucionou o procedimento. Usando anestesia local, pode remover de forma segura e com êxito os depósitos de gordura, com pouco desconforto, sem complicações e melhores resultados cosméticos.

PROCEDIMENTO: É realizado centro cirúrgico ambulatorial, sem a necessidade de internação. Lipoaspiração tumescente diminui irregularidades da pele, provoca menor sangramento e reduz hematomas. Não é destinada a perda de peso, pois é um procedimento de contorno. É utilizada em conjunto com exercício físicos e para a manutenção do peso ideal.

O procedimento envolve injeção de uma solução nas áreas de depósitos de gordura excessivos. A injeção contém anestésico e adrenalina que diminui os vasos capilares com o intuito de diminuir a perda de sangue. Uma pequena incisão é feita na pele e um pequeno tubo ligado a um vácuo é inserido na camada de gordura. Usando movimentos de vaivém, a gordura é extraída através do tubo para um sistema que irá armazenar a gordura retirada.

Complicações que poderiam surgir por conta da anestesia geral são eliminadas nesse procedimento, que usa anestesia local. Nele o paciente está acordado, e poderá sinalizar eventuais problemas e acompanhar os resultados.

É SEGURO? Quando realizada por um profissional qualificado, a lipoaspiração tumescente com anestesia local é um procedimento extremamente seguro, com poucos efeitos colaterais.

 

Preenchimento

O preenchimento é um procedimento realizado para repor volumes que se perdem e reparar imperfeições adquiridas ao longo da vida, como as cicatrizes. O principal objetivo dos preenchedores é repor o volume da face, melhorar seus contornos e formas. O ácido hialurônico é o principal preenchedor utilizado hoje, o corpo humano fabrica esta substância, capaz de manter as formas e contornos, mas essa produção cai com o passar dos anos. Após a aplicação do produto, a área pode ficar levemente avermelhada e inchada. Contraindicações e uso de medicação rotineira devem ser informados ao médico. O risco de alergias é raro. Os preenchedores são usados em combinação com outros procedimentos para melhorar o resultado final, como o uso de toxina botulínica e de peelings.

 

Retirada de Lesão com Enxertia

Esta técnica é utilizada quando não é possível efetuar a retirada de uma lesão por excisão e sutura simples ou por rotação de retalho. Nestes casos, utiliza-se a pele de uma área distante da lesão para cobrir a ferida cirúrgica.

Após anestesia local, remove-se a lesão com bisturi. Uma área de pele sadia, distante da lesão, é retirada para fechar a ferida. Fecha-se esta área com sutura simples. Coloca-se, então, a pele sadia sobre a ferida e procede-se a sutura com pontos externos. Há a necessidade de um curativo compressivo, que aperta a pele sobre o local onde foi colocada para garantir a sua aderência ao tecido sob ela. Os pontos são retirados em 10 a 15 dias.

 

Toxina Botulínica Tipo A

Injeções neuromoduladoras de toxina botulínica tipo A podem melhorar linhas de expressão, rugas profundas entre as sobrancelhas, perto do nariz, na testa e nos cantos dos olhos.

A toxina botulínica é uma toxina purificada. Quando administrada oralmente em grandes quantidades, bloqueia os sinais nervosos do cérebro para o músculo, causando paralisia generalizada, chamada botulismo. No entanto, por injeção, em quantidades muito pequenas, num músculo facial específico, apenas o impulso que orienta esse músculo será bloqueado, causando o relaxamento local. Deste modo, a toxina botulínica atua como um bloqueio da musculatura subjacente das linhas indesejadas, prevenindo expressões “enrugadas”.

A toxina botulínica é injetada diretamente no músculo-alvo para o tratamento de linhas verticais entre as sobrancelhas e na ponte do nariz; linhas de estrabismo ou pés-de-galinha nos cantos dos olhos; linhas horizontais na testa e nas bandas do músculo platisma, conhecido como pescoço de peru.

Outro uso é para o reposicionamento das sobrancelhas, o músculo é enfraquecido e relaxado, para não contrair. Esse tratamento também previne de se formem novas rugas. Alguns músculos não podem ser tratados, pois realizam funções importantes na expressão natural de uma pessoa. É o caso do músculo que levanta as sobrancelhas, e nos músculos da linha do sorriso, uma vez que eles são necessários para as expressões dessa região e até para comer.

PROCEDIMENTO: O tratamento envolve injeção de quantidades muito pequenas de toxina botulínica nos músculos subjacentes para imobilizá-los. O tratamento atual é bem tolerado, rápido e a recuperação é mínima. Alguns efeitos colaterais permanecem por cerca de três a sete dias após o procedimento. E o efeito da toxina no músculo perdura por cerca de três a quatro meses até que desaparece gradativamente e ação muscular retorna. Com aplicações em intervalos regulares, pode ocorrer de o músculo enfraquecer, dessa forma, as aplicações passam a durar mais tempo.

OUTRAS INDICAÇÕES: A transpiração excessiva pode aliviar com injeções altamente diluídas da toxina botulínica, diretamente na pele das axilas ou na pele nas palmas das mãos e plantas dos pés. Há paralisação das glândulas sudoríparas da pele que são responsáveis ​​pela transpiração excessiva. Uma única sessão de tratamento pode fornecer meses de alívio, e os especialistas acreditam que as injeções podem ser repetidas indefinidamente, uma ou duas vezes por ano.

EFEITOS COLATERAIS: Os efeitos colaterais são mínimos e relacionam-se com a injeção local. Dor ou edema pode surgir em torno do local da injeção. Maquiagem pode ser usada após o tratamento. Mas tome cuidado para não pressionar ou massagear a área após algumas horas do procedimento. Em casos raros, os pacientes podem desenvolver fraqueza temporária dos músculos vizinhos, ou dor de cabeça, ou sobrancelha e/ou pálpebra caída temporariamente.

 

Tratamento de Acne

A acne é uma doença que precisa ser tratada independentemente da idade da pessoa. Espremer e cutucar espinhas deve ser evitado, assim como o uso de produtos caseiros ou desconhecidos. Não se deve também acreditar em soluções milagrosas, pois elas só pioram o quadro. Conforme o grau e a intensidade da acne, o tratamento se dá por via oral ou local, dependendo de uma avaliação criteriosa do dermatologista. A acne não é um bicho-de-sete-cabeças e, quando tratada a tempo, não evolui para cicatrizes. É importante lembrar que o adolescente já passa por várias mudanças, tem uma autocrítica exacerbada e uma pele inflamada e marcada só pode prejudicá-lo do ponto de vista psicológico e social.

 

Fonte: SBD